Transcarioca – fase 2

Transcarioca – fase 2

Transcarioca – fase 2

Pontes e viadutos, nessa fase os desafios foram “aéreos”.

Enquanto a complexidade da fase 1 da obra da Transcarioca ficou limitada ao nível do solo, ou até abaixo dele, na fase 2, pode-se dizer que os desafios foram “aéreos”.

Para evitar transtornos adicionais no já sobrecarregado trânsito da Avenida Brasil, a Transcarioca deveria cruzar a via pelo ar, sem qualquer apoio intermediário. A solução foi a inclusão de um Arco Estaiado, com 24 estais e 32,5 metros de altura, que garantiu um vão livre de 150 metros.

Do ar também veio uma séria restrição para o trecho da Ilha do Governador: por estar próxima a uma das cabeceiras da pista do Aeroporto do Galeão, a estrutura deveria atender às normas da aviação. A ponte estaiada, que teria um mastro de 100 metros de altura, passou a ter dois, com cerca de 60 metros cada. No vão estaiado, foram utilizadas mais de sete mil toneladas de aço.

O BRT Transcarioca, corredor de ligação entre o Aeroporto Internacional do Galeão à Barra da Tijuca tem 39 km de extensão e 45 estações – incluindo uma para cada terminal do aeroporto internacional do Rio. O sistema deve atender a 400 mil pessoas/dia.

A Casagrande foi responsável pela verificação de todo o projeto e autora do projeto da ponte do Terminal 1 do Galeão.

FICHA TÉCNICA:

Data da Obra: 2012 / 2013
Local: Penha – Ilha do Governardor, Rio de Janeiro
Cliente: Consórcio Transcarioca (OAS, Carioca Engenharia e CONTERN Construção)

22 de julho de 2014