Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã

Obra com grande destaque no projeto Porto Maravilha.

“O arrojado projeto assinado pelo premiado arquiteto espanhol Santiago Calatrava tem tudo para se consolidar como um dos principais destaques da área cultural do Porto Maravilha. Construído em dois andares interligados por rampas, o museu foge totalmente aos padrões dos museus tradicionais de história natural ou tecnologia.

Ao sermos escalados para a obra do Maracanã, nos veio aquele frio na barriga de quem é chamado pelo técnico para entrar em campo em um momento de decisão, de tudo ou nada.

Com uma área construída total de 12,5 mil metros quadrados, o museu terá loja, auditório, salas de exposições temporárias, salas para pesquisa e ações educativas e um restaurante, além das áreas administrativas no térreo e salas de exposições permanentes e belvedere no piso superior.

Cobertura metálica em formato de asas; Estruturas móveis na fachada, que funcionam como brises e também como base para placas de captação de energia solar; a utilização exclusiva de materiais recicláveis; a inspiração em elementos da mata atlântica; e o uso da água da baía de Guanabara para redução da temperatura no interior do prédio deixam clara a vocação do museu para se tornar um ícone arquitetônico e também uma referência em construção sustentável.

A água do mar filtrada também é usada para formar um espelho d’água ao redor da construção, que cria um ambiente mais fresco e agradável e também integra o prédio à paisagem da baía.

A Casagrande fez a verificação do projeto completo, que incluía disciplinas das mais diversas áreas da engenharia, tais como impermeabilização, acústica, ventilação e ar condicionado, elétrica, hidrossanitária, arquitetura, SPDA, estrutura e fundações, entre outras. Pelas características do museu, todas as disciplinas e até mesmo a compatibilização entre elas se mostraram bem complexas do ponto de vista técnico.

FICHA TÉCNICA:

Data da Obra: 2011

Local: Centro, Rio de Janeiro

Cliente: Consórcio Porto do Rio (OAS, Odebrecht e Carioca Engenharia)

13 de junho de 2014