Elevado do Joá

Elevado do Joá

Elevado do Joá

Solução inovadora.

“O Elevado do Joá precisa ser interditado”; “O viaduto está sob ataque de corrosão generalizada”; “O caso do elevado é crítico, já que os problemas são recorrentes desde os anos 80”; “Eu utilizava muito o Joá, mas não vou mais passar por lá”… Essas e muitas outras declarações, publicadas na imprensa em 2012, mostravam o grau de apreensão da prefeitura, das associações de moradores, de técnicos, especialistas e, acima de tudo, das centenas de milhares de pessoas que diariamente precisavam usar a principal via de ligação entre a Barra e a Zona Sul da cidade. Caminhões foram proibidos, a velocidade foi reduzida mas a insegurança só aumentava.

Todas as soluções que se apresentavam como viáveis apontavam para a interdição parcial ou total do elevado, sua demolição ou a necessidade de novas intervenções em um curto espaço de tempo.

Assim que lemos a notícia da possível demolição do elevado, começamos nos debruçar sobre o problema e a estudar alternativas. “Tem que haver uma outra saída!” Essa frase era repetida à exaustão pela equipe, que, a essa altura, já estava reunida em uma espécie de centro de comando de resposta a emergências de grandes proporções. Era assim que víamos a situação do elevado e o tamanho do desafio que a cidade impunha a nós, engenheiros e calculistas estruturais.

Em poucas horas, chegamos a uma solução que foi imediatamente apresentada à prefeitura. Com o apoio dos órgãos responsáveis, a ideia original foi aperfeiçoada e o projeto completo, desenvolvido. A sofisticação da solução adotada veio da sua simplicidade. Com o uso de vigas metálicas, garantimos que quase não houvesse interrupção no tráfego, que o vão livre de quatro metros fosse preservado e, principalmente, que as pessoas voltassem a passar com tranquilidade pelo elevado. Como reconhecimento ao caráter inovador e à qualidade da solução, os mesmos técnicos que indicavam a necessidade de demolição do elevado declararam que, com a obra, tínhamos conseguido salvar a estrutura.

FICHA TÉCNICA:

Data da Obra: 2013
Local: São Conrado – Rio de Janeiro
Cliente: Consórcio Elevado das Bandeiras (Concrejato e Geomecânica)